Pular para o conteúdo principal

13º Boletim Manifesto

Dias atrás, eu recebi um pacote com várias publicações bacanas do selo Atomic Books, editadas por Marcos Freitas. Todas produzidas com enorme capricho gráfico e com uma seleção de material bem interessante, principalmente para quem curte quadrinhos independentes - e se este não for o seu caso, você não sabe o que está perdendo.

A começar com Monstros dos Fanzines 1, dedicado à obra de Joacy Jamys (1971-2006), figura quase lendária da fanedição brasileira, editor do Singularplural, entre outros títulos alternativos. A edição traz em suas 136 páginas, várias HQs, tiras e cartuns de Jamys. A arte da capa é de Félix Reiners.


Quadritos 10 volta após um tempo na geladeira trazendo histórias de vários autores, e uma do saudoso mestre Flavio Colin. O fanzine tem 40 páginas e capa de Mozart Couto. Mas é em Quadritos 11, com suas 100 páginas e lombada quadrada, que Freitas se supera. Emir Ribeiro conta a história "Michèlle, A Vampira" (protagonista da capa), e Bira Dantas faz um convite à reflexão em "Escuro". As outras HQs são de gente importante, como Edgard Guimarães, Henrique Magalhães e Gazy Andraus.

Além disso, esse verdadeiro tijolo quadrinístico contém reportagens e resenhas sobre outras revistas e autores, e apresenta uma extensa entrevista com Flávio Calazans, autor de inúmeros projetos editoriais, como A Guerra dos Golfinhos e o fanzine Barata. 

Freitas também reproduz um clássico do underground americano: Cobalt 60, de Vaughn Bodé. Essa história pós-apocalíptica foi publicada pela primeira vez em 1968, no fanzine Shangri L' Affairs 73, mas alcançou maior visibilidade dois anos depois, ao ser reprisada em Witzend 3, um prozine editado por Wally Wood.


Falando em Bodé, um artista da mesma geração de Robert Crumb, falecido em 1975, com trabalhos publicados no magazine Heavy Metal, ganha pela Atomic Books a coletânea The Bodé Broads, um portfólio de pin-ups de suas famosas figuras femininas exóticas e corpulentas.

A impressão foi feita em papel reciclato (não confundir com reciclado). Também nesse sistema, Freitas lança Nomes 1, série em formato álbum dedicada a vida e obra de grandes gênios do cinema e HQ. Para a estreia, o diretor Pier Paolo Pasolini tem sua carreira analisada.

Para adquirir as publicações da Atomic Books, acesse o blog Fanzine Quadritos.

Outra boa pedida é a revista independente Ói! 2, do selo Darcel. Rodrigo Costa e Rodrigo Seixas voltam com tudo, e contam com a colaboração criativa de Arlan Clecio e Edson Lima. HQs variadas e uma capa chocante de Luís Carlos Meira. Contato: Darcel Comics.

Finalmente - e com orgulho - anúncio no Manifesto um novo trabalho do meu amigo Jota Silvestre, jornalista de primeira, especialista em quadrinhos, e cada vez mais versátil na arte da escrita. Novamente Jota ataca de roteirista, no álbum O Fundador, lançamento da Editora Europa.

Trata-se da quadrinização do romance histórico do escritor Aydano Roriz, sobre as aventuras de Tomé de Souza.

Totalmente colorida e com desenhos de JB Fernandes, a publicação pode ser encontrada nas melhores bancas de jornal do país.

E por enquanto é isso!

© Copyright Roberto Guedes. Todos os direitos reservados.

Comentários

Anônimo disse…
Boa Guedes. Excelentes dicas.
Abraço
Andre Bufrem